Revista ConstruChemical - Edição 31

Revista ConstruChemical - Edição 31

REVISTA CONSTRU CHEMICAL 21 ADESIVOS Mercado de adesivos industriais brasileiro é aquecido por investimento de multinacional AH.B.FULLERCOMPANYFINALIZOUACOMPRADAEMPRESADEADESIVOSBRASILEIRA,ADECOLIND. QUÍMICA,LTDA.AATRATIVIDADEDELONGOPRAZOEAIMPORTÂNCIAESTRATÉGICADOMERCADOBRASILEIRO, ACRESCIDASDOPOTENCIALDAADECOL, LEVARAMAMULTINACIONAL A INVESTIRNACOMPRA A H.B. Fuller Company finalizou a compra da empresa de adesivos Adecol Ind. Química, Ltda, que atua com tecnologias de adesivos de qualidade noBrasil. Aaquisição apoia o plano estraté- gico de crescimento da empresa nosmercados emergentes. As es- timativas do consumo mundial de adesivos em 2014 giraram em torno de US$ 40 bilhões, devendo alcançar os US$ 45 bilhões em 2019. Várias fontes ao redor do mundo indicam um crescimento anual na ordemde 3% a 5% até 2019. “Com esta aquisição, ganhamos uma equipe dedicada com sólidos relacionamentos com clientes e recursos locais de fabri- cação”, disse Jim Owens, presidente e CEO da H.B. Fuller. “Tra- balharemos de perto com a equipe da Adecol para um aumento ainda maior das parcerias com clientes regionais, além do desen- volvimento, produção e venda de novos emelhores produtos nes- sa região estrategicamente importante.” A H.B. Fuller é uma das maiores empresas a operar na indús- tria de adesivos e vedantes atualmente, com geração de US$ 2,1 bilhões de receita líquida no ano fiscal de 2016. O mercado bra- sileiro de adesivos, que fechou 2015 com um volume de negócios total de R$ 2,6 bilhões, segundo a Abiquim, é composto de um mix de produtores independentes de pequeno e médio porte, além de vários players multinacionais de grande porte. Com um mix de investimentos diretos em infraestrutura e aquisições estra- tégicas, espera-se que as multinacionais, em especial, venham a deter a grandemaioria das ações domercado, alémde se estabele- cerem na América Latina, acompanhando as economias de toda a região, que se diversificam e crescem. “As empresas (H.B. Fuller e Adecol) combinadas aumentam o valor que proporcionamos aos clientes, uma vez que conseguire- mos fornecer uma maior variedade de soluções aos nossos clien- tes, incluindo uma linha de produtos mais ampla, menores tem- pos de serviço e mais apoio dos clientes”, disse Owens. Com sede em Guarulhos, a Adecol ajuda na estratégia de crescimento da H.B. Fuller para mercados emergentes, uma vez que permitirá que a empresa alavanque in- tegralmente seu abrangente portfólio em termos de tecnologias e forneça com mais eficácia produtos adesivos especiais aos clien- tes-chave na região doMercosul. Há 130 anos, a H.B. Fuller tem sido uma líder mundial no for- necimento de adesivos, focada no aperfeiçoamento de adesivos, selantes e outros produtos químicos especializados para melhorar a produção e a vida das pessoas. Com a receita líquida de US$ 2,1 bilhões no exercício financeiro de 2016, o compromisso da H.B. Fuller com a inovação reúne pessoas, produtos e processos que enfrentam e resolvem alguns dos maiores desafios do mundo. Como o maior fabricante de adesivos industriais no Brasil, a Adecol traz a inovação no seu DNA. Um de seus fatores diferen- ciais são as soluções feitas sob medida, desenvolvendo formula- ções específicas que geram um portfólio amplo e flexível, capaz de atender a inúmeros nichos de mercado. Desde a fabricação de automóveis até o setor de embalagens, a empresa produz 1,5 mil toneladas de adesivos por mês. Atuando como um laboratório de desenvolvimento, a empresa adapta produtos importados e maté- rias-primas ao mercado da América Latina. Em 2016, apresentou um valor de vendas de aproximadamente US$ 35,7 milhões. Jim Owens, presidente e CEO da HB Fuller, Ana Júlia Kiss, diretora industrial da Adecol, Alexandre Kiss Segundo, diretor comercial da Adecol, e Steve Kenny, vice-presidente de mercados emergentes. Crédito: Carol Soares

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=