Revista ConstruChemical - Edição 33

Revista ConstruChemical - Edição 33

REVISTA CONSTRU CHEMICAL 9 PIGMENTOS PARA CONCRETO orlas de Boa Viagem e de Olinda, Jaboatão e, agora, o Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga - parte do pro- jeto de revitalização da área portu- ária da capital pernambucana”, des- taca Eugenia Essinger, diretora de marketing da Oxinor. Gilberto Amarante, gerente assis- tência técnica da Transcor, ressalta que as construtoras estão inovando e reduzindo custos com aplicações de tintas em alguns substratos, com principais inovações estão pautadas em diferentes tonalidades oferecidas ao mercado, em cores mais vivas e com resistência apropriada à severi- dade da aplicação. “Utiliza-se muito cores, como azul, vermelho óxido e amarelo, porém é muito comum so- licitações de cores diferentes, como violetas e tonalidades mais vivas.” Os pigmentos micronizados, de fá- cil homogeneização e incorporação, ocasionam melhoras constantes nos Fernando Rosa, gerente técnico da Aromat. o tingimento direto na massa de acabamento. “Alguns produtos tin- gidos que foram lançados no mer- cado já estão substituindo o reboco, apresentando acabamento final já colorido. A Transcor possui uma ampla linha de pigmentos, e esta- mos em constante busca por novos pigmentos, que apresentem bom desempenho em concretos, porém a resistência a longo prazo ainda é o principal problema para substitui- ção de óxidos de ferro.” Os pigmentos para concreto pro- porcionam atualmente uma maior diversidade aos projetos, podendo oferecer benefícios, como menor manutenção, além da possibilidade, em alguns casos, de sua utilização como elementos estruturais ou no revestimento, destaca Viviane Sti- valetti, gerente de field marketing da Univar. “Algumas grades podem trazer tambémmelhoria na resistên- cia mecânica. Em muitas obras os pigmentos para concreto têm sido utilizados como uma alternativa ao uso de tintas, revestimentos, cerâ- micas e pastilhas, com a vantagem do requerimento de menor manu- tenção e mantendo boa resistência a intempéries.” A Lanxess está apresentando neste momento ao mercado a linha “New Red”, que é verdadeiramente uma inovação no mercado de óxido de ferro, segundo Vieira. “Esta linha é produzida em nossa nova planta em Ningbo-China, e esse pigmen- to é considerado o óxido de ferro vermelho de tonalidade mais satu- rada já produzido até hoje. Além de completar o nosso amplo portfólio de vermelhos já produzidos na Ale- manha, a linha ‘New Red’ vem ao encontro de uma crescente deman- da no mercado de tonalidades mais amareladas. Estamos seguros que essa linha trará ao mercado de con- creto colorido novas e interessantes possibilidades no desenvolvimento de cores.” Para Fernando Rosa, da Aromat, as Marcelo Caetano, do departamento de preparações pigmentárias da Colormix Agnes Muciacito, coordenadora técnica de pigmentos da IMCD processos químicos de fabricação e contribuem mecanicamente com o concreto acabado, anuncia Caeta- no, da Colormix. “Quanto às cores, utilizam-se com frequência as va- riações de tonalidades de amarelos, vermelhos, verdes e pretos.” O último lançamento da IMCD foi um vermelho significantemen- te mais cromático que os óxidos de ferro, divulga Agnes Muciacito, co- ordenadora técnica de pigmentos. “O Sicopal Red EH 2370 (L 3050) possui alta resistência, excelente opacidade e resistência química. Com relação às cores, as mais utili- zadas no mercado de construção são o branco e as cores pastel, que ainda

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=